As pessoas que gastam dinheiro em experiências em vez de bens de consumo são muito mais felizes

Quando é o dia de receber o salário e o dinheiro cai direto na sua conta, imediatamente  você começa  a passar o cartão, mais vezes em um dia quanto os dedos se movem quando se navega através do Facebook, Instagram e Tinder todos juntos.
A gratificação instantânea acompanhada das etiquetas de preço das roupas novas, tênis da moda e jóias caras é satisfatório
o suficiente para ser considerado um vício real.
Isso é crucial para nos lembrar da importância de investir ainda mais em experiências de vida.
F3AB856E-9A58-4BA8-B6A3-A065AAC7A4A4
Na verdade, as pessoas mais felizes são aquelas que de uma certa forma conseguiram distanciar-se dos vícios das compras e gastos desnecessários.
Em vez disso essas pessoas investem o dinheiro em viagens, experiências e memórias, e  isso certamente compensa.
Se nós começarmos a investir em nosso futuro muito mais do que investimos em roupas, gadgets –  bens de consumo em geral,  nossa vida serà mais maravilhosa do que qualquer coisa que o dinheiro possa comprar.
 
“A vida é escrita com recordações, não com diamantes.”
Pense sobre isso: No final da sua vida, você ira lembrar que teve um Iphone 6  plus enquanto todos  ainda estavam usando o Iphone 5, ou você vai  lembrar das memórias que compartilhou com as pessoas que contribuíram para moldar quem você se tornou?
Um estudo publicado pelo Jornal de Psicologia Positiva mostra que as pessoas que compraram produtos caros ao invés de investir em experiências frequentemente desvalorizaram o novo  item imediatamente após a compra.
Os pesquisadores da San Francisco State University descobriram que: entender a vida é sobretudo baseado nas memórias que nós criamos, porém nós somos capturados pelas tendências e demandas que nós induzem a fazer compras que inevitavelmente nos arrependemos, de acordo com the Huffington Post.
Mesmo antes de fazer as compras, os participantes do estudo disseram que experiências de vida seriam muito mais beneficentes do que comprar o primeiro  e maior item na lista de desejo de consumo.
Depois de  ter comprado algo de desejo temporário, os participantes logo notaram que seria melhor ter gastado  o dinheiro em uma experiência, que aumentaria sua felicidade por um período mais  longo e sustentável.
“Foco naquilo que te faz feliz, não no que te faz famoso.”
Nós somos como os produtos da nossa sociedade: brilhantes, caros e exclusivos que trocamos diariamente, e ainda mais.
O que nos separa dos nossos ancestrais é que nos desenvolvemos em um mundo de redes sociais, e quase tudo que compramos é fotografado e exposto para em uma auto-promoção.
O Dr. Thomas Gilovich psicólogo e  professor na Cornell University, tem procurado pela conexão entre dinheiro e a felicidade.
Ele afirma:
Nos compramos coisas que nos fazem felizes, e obtemos a felicidade. Mas apenas por um período. Coisas novas são excitantes no começo, porém nós nos acostumamos a isso.
Dr. Gilovich  afirma:
“Eu não estou dizendo que você nunca deve se recompensar por um mês de trabalho duro com uma roupa nova ou uma noite extravagante, mas os maiores investimentos devem ir em direção as experiências que criam memórias ao longo da vida, em vez de um item que vai perder seu fator “moda” dentro alguns anos (isso se você tiver sorte).”
Nossas experiências são uma parte maior de nós mesmos  que os bens materiais. Você pode realmente gostar das suas coisas. Você pode até pensar que parte da sua identidade está ligada a essas coisas, mas elas  ainda permanecem separadas do seu “Eu”. Em contraste, suas experiências são realmente parte de você. Nós somos a soma de todas as nossas experiências.
Abandone a etiqueta de preço e explore o mundo!
The Next Web reports:  Existem 79 milhões de Millennials somente nos Estados Unidos, três milhões a mais do que a notória geração Baby Boomer que é responsável por muitos dos postos de trabalho, indústrias e programas do governo à disposição.
 
Mas as indústrias vão ter de reavaliar geração Y se quiserem nos direcionar em sua publicidade. A maioria de nós esta começando a perceber as vantagens inestimáveis de gastar o nosso dinheiro suado em coisas como viagens, educação e atividades criativas.

Os pesquisadores dizem que as empresas terão de se adaptar a essa mudança de mentalidade, a fim de competir e sobreviver no novo mundo desta geração.

Em última análise, estes são investimentos a longo prazo em nossa felicidade pessoal.
 
Gastar mais o nosso dinheiro em coisas que melhoram a nossa vida  com memórias de ouro e aventuras inesquecíveis – nós não estamos apenas mudando as indústrias que nos cercam, nós estamos derramando uma positividade muito necessária para iluminar o mundo.

A cada dia somos convencidos a comprar coisas que não precisamos, gastar dinheiro que não temos, comprar qualquer lixo que perde valor de compra em questão de semanas.
Geração-Y é uma dos maiores e mais influentes grupos da sociedade, e nós temos a capacidade única de controlar o destino das nossas carteiras e investimentos na vida.
Por que comprar o mais recente telefone celular quando você pode colocar esse $ 400  dólares em  uma passagem  de avião para um país onde nunca esteve antes?
 
Pessoas que constantemente vivem com seus objetivos futuros, investindo em felicidade na vanguarda de suas mentes tendem a viver vidas mais felizes do que o resto dos consumidores inundados em produtos.
Para concluir,  posso afirmar que:
A felicidade é um escolha
Ser feliz não é uma questão de quem você é, ou o que você faz ou o que você possui. Sentir feliz é uma escolha que você faz conscientemente. A felicidade não é uma consequência de fatores externos, felicidade é a lente escolhida para ver a realidade.  Para isso a única coisa que você precisa fazer é escolher ser feliz, você tem este poder, mesmo que encontre muitas circunstancias que apontem para o contrario.
A cada dia encontramos pessoas com muito menos do que nós possuímos: Menos dinheiro, menos oportunidades, menos amor e afeto; em muitos casos as circunstancias físicas são completamente irrelevantes ao estado emocional.  Esta é a maior prova de que a felicidade é um estado mental, e não o resultado de conquistas materiais.
Eu não estou encorajando você a abandonar seus objetivos e ambições, porem não acredito que somente  esses objetivos irão fazer você feliz.  Se você esta procurando felicidade em circunstancias externas, você poder ficar decepcionado.
Persiga os seus objetivos porque você quer ser melhor, acima de tudo para si próprio; persiga seus objetivos para ajudar os outros ou promover mudanças no mundo, mas faça isso a partir de uma posição de prazer e satisfação, e não porque você acredita que isto preenchera um vazio.
Pare de procurar pela felicidade, porque a felicidade não é algo se obtém, mas é uma escolha a ser feita.
Nós temos a obrigação de ser feliz.

Renato MoreiraCoach Executivo e palestrante de cursos de desenvolvimento pessoal. 
Sou originário de uma pequena cidade do interior de Minas Gerais, minha  aspiração para descobrir o mundo veio da minha querida avó, que adorava viajar até mesmo em idade avançava,  desde de pequeno acompanhava meu pai pelo interior do Brasil em seu caminhão, por estradas precárias como eram na década de 80, eu era sómente uma criança de 7 anos dormindo no desconforto e riscos na cabine de um caminhão, e ja experimentava a incomparável gratificação na descoberta de novos horizontes e novas experiências por acompanhar meu pai na sua árdua profissão.
Esta paixão por viagens e descobertas me levou aos quatro cantos do planeta, do conforto e riqueza cultural da Europa ao continente Áfricano, conhecendo a guerra civil na Angola e a pérola sudafrincana Cidade do Cabo, descobrindo o pais-continente Índia; subindo no topo das pirâmides de Gyza no Egito, bom, paro por aqui para não ficar cansativo com minha longa lista de lugares visitados e ainda muitos a visitar.
Nos últimos dez anos desenvolvi uma carreira como coach executivo com clientes que vão dos extravagantes do Qatar aos dedicados executivos da Áustria. Hoje vivo entre os Países Baixos e o Brasil.

Liderança Emocional

leadership

Nos últimos anos mudanças enormes ocorreram no mundo exterior (pense sobre o fato de que a televisão comercial foi criada apenas a 60 anos, o computador a mais ou menos uns 30 anos) com isto  aconteceram mudanças  em nossas experiências interiores e no nosso modo de vida, por isso  temos a necessidade de adaptar-nos neste ambiente em  constante evolução, pois só assim podemos sobreviver.

A maioria das pessoas estão tentando mudar. Algumas se vestem de acordo com a moda, pessoas mais velhas fazem cirurgias plásticas, outras usam muita maquiagem, algumas querem ficar mais bonitas, outras precisam de aventuras, outras querem mais fama e fortuna e outras leem livros sobre diferentes temas.
Dos mais pobres aos mais ricos, as pessoas não estão felizes como  são. Elas querem  se tornar  melhores, querem ter uma aparência melhor, um comportamento melhor, e o que elas mais querem acima de tudo é contentar-se consigo mesmo.

Na busca de tentar encontrar uma vida melhor, as pessoas tendem a fazer ajustes externos. Elas não deixaram claro na sua cabeça que tipo de mudança e o resultado que desejam ter. Elas querem mudar, mas não sabem como, então, às vezes fazem alterações que não são essenciais e na maioria das vezes inúteis.

Então que tipo de mudança estamos interessados? Precisamos mudar nosso penteado para ser bem sucedido na nossa carreira? Queremos ser bonitos para que os outros possam nos admirar ? Ou talvez nós queremos mudar a maneira que pensamos sobre nós mesmos e sobre o mundo à nossa volta, mudar a forma como lidamos com nós mesmos, mudar a forma como nos sentimos sobre nós e a maneira como tomamos decisões sobre a nossa vida?

Muitas vezes vemos pessoas que sabem o que elas querem mudar na sua vida,  sabem o que elas não estão satisfeitas, porem não sabem como mudar isso, assim elas precisam de algum tipo de tecnologia que possam usar  para atingir o resultado desejado.
Esta é a missão do workshop de liderança emocional, propor uma plataforma para promover a mudança, apresentar técnicas de coaching e uso aplicado da Programação Neurolinguistica.
Vamos falar sobre simples, rápidas e eficientes maneiras que você pode usar para alcançar seus objetivos, como se tornar o líder que você quer ser.
Quase tudo o que fazemos começa com uma idéia. O resultado dessa idéia é a materialização de um evento.
Convido e desafio você a agir! E gerar mudanças surpreendentes na sua vida!
Você vai aprender como usar sua mente e o seu comportamento para se conectar profundamente e sinceramente com si mesmo e com os outros e viver uma vida plena e criativa.

Informações: liderancaemocional@outlook.com


Renato Moreira  Coach executivo – Ajudo os meus clientes a encontrarem clareza e ganharem confiança para transformarem  suas vidas, elevando seus negócios para um alto nível. Sou palestrante em cursos de desenvolvimento pessoal e PNL.