Validando a prática de Coaching

Coaching é uma prática em busca da sua espinha dorsal cientifica,  da sua base teórica e evidencias. Atualmente existem limitadas porem crescente conjuntos de evidencias da eficácia de coaching na psicologia positiva, também outro campo jovem no estudo do comportamento humano e cognitivo.  O sucesso das intervenções da psicologia positiva e programação neurolinguística, combinado com o crescente campo do coaching executivo, oferece uma rica oportunidade para desenvolver potencialmente os métodos de coaching transformacional (trabalhar com cada indivíduo no sentido de maximizar as capacidades da sua personalidade e a expansão dos horizontes do seu verdadeiro potencial)

Acredito que é possível se tornar um coach mais profundo, ajudando os clientes a alcançarem melhores resultados aprimorando métodos de coaching efetivos e identificar veículos de construção de engajamento (intervenções positivas). Os profissionais treinados adequadamente com técnicas de coaching embasados nas teorias da psicologia positiva, na mensuração valida dos estados e traços positivos, nas intervenções que funcionam e que sabem quando encaminhar um cliente para um profissional mais bem treinado, sera a meu ver, coaches de boa-fé da psicologia positiva. 

Coaching é uma profissão jovem que precisa de um rigor continuo para um futuro de sucesso, principalmente evitar se tornar um modismo ou pseudociência. 

Como coach certificado por dois institutos internacionais ICF – International Coaching Federation e ICC – International Coaching Community,   conto com mais de 12 anos de experiência internacional em desenvolvimento organizacional e de liderança, coaching executivos de nível C ou C-Suite. Minha missão é aprimorar minha presença de coach e aprender continuamente métodos de desenvolvimento pessoal  para me tornar um coach mais eficiente para o beneficio dos meus clientes. 
Neste artigo forneço uma ampla visão do processo de coaching abrangendo os desenvolvimentos mais recentes combinado com o campo da psicologia positiva. 
Compreender a definição, competências, processos, abordagens e eficácia do processo de coaching fornece um ponto de partida. Existem muitas definições de coaching. Hudson (1999) e Whitmore (1992) enfatizam o papel do coach como facilitador do aprendizado (desenvolvimento pessoal)  do cliente através da autodescoberta, mantendo uma orientação futura. Silsbee (2010) James Flaherty (2010) define coaching como “um relacionamento no qual uma pessoa se dedica principalmente a servir o desenvolvimento a longo prazo da eficácia e autogeração na outra”. Em essência, o coaching é um desenvolvimento pessoal e profissional individualizado. Além disso, os clientes buscam orientação porque querem mudar. A mudança é situacional (externa) e a transição é psicológica – a reorientação interna e a auto-redefinição são necessárias para incorporar a mudança na vida de alguém. Tudo o que requer é prestar atenção. Mais especificamente, exige uma atenção rigorosa aos hábitos da mente, crenças, suposições e comportamentos incorporados que o coach ajuda a moldar “quem somos no mundo”, elevando e comprometendo com novas possibilidades nas quais anteriormente não podíamos ver ou agir.
Esta descrição identifica a importância e a interação da atenção consciente, cognições, emoções, comportamentos e nossas reações físicas, a fim de ver novas possibilidades e criar mudanças. Neenan (2008) destaca que muitas vezes as pessoas tem dificuldades para fazer essas mudanças sozinhas devido a pensamentos e crenças autolimitantes, comportamentos contraproducentes e emoções problemáticas. Portanto, trabalhar com um coach profissional oferece a oportunidade de agir com esforços concentrados no próprio desenvolvimento com orientação e parceria profissional
Os coaches  oferecem competências e habilidades, conforme descrito pela Federação Internacional de Coaching. Eles são personalizados por programas de treinamento específicos que ensinam  competências como: diretrizes éticas, estabelecimento de contrato de coaching, confiança, criação de presença de coaching, liderança por trás, gerenciamento do lado sombrio, escuta ativa , fazer perguntas poderosas, comunicações diretas, gerenciando resistência, criando consciência, projetando ações, planejamento e estabelecimento de metas, e gerenciamento do progresso e a responsabilidade (accountability).

Conceitos de psicologia positiva e intervenções que são mais eficazes para os clientes no processo de coaching: Auto-Regulação, Auto-determinação, Auto-eficacia, Inteligência emocional, Teoria da esperança, Teoria do estabelecimento de teorias, Resiliência, Otimismo, Pontos fortes (caracter strenghts), Investigação apreciativa, Emoções positivas,  Capital Psicológico Positivo (PsyCap).

Além disso, existem vários modelos de processo de coaching, bem como modelos de mudança. Por exemplo, Egan (2002) oferece o modelo qualificado de ajuda: esclarecer questões-chave (histórias, identificar pontos cegos e alavancar a questão certa), identificar resultados desejados (possibilidades, objetivos e comprometimento realistas), desenvolver estratégias (ações possíveis, escolher melhor plano) e implementar. D. Peterson (2006) descreve o modelo de mudança de comportamento “The Pipeline do Desenvolvimento”, que eu uso rotineiramente com os clientes, como uma progressão através de insight, motivação, capacidades, prática do mundo real e responsabilidade. Este modelo destaca que a mudança é limitada pelo componente mais estreito do pipeline. 
Por exemplo, um cliente pode ter uma ótima visão sobre seu atual comportamento, mas falta motivação profunda para mudar. Embora existam pontos em comum nos processos de coaching e modelos úteis para entender a mudança, existem inúmeras abordagens para ajudar o cliente no ponto de conscientização.  Grant, Curtayne e Burton (2009) testaram a questão: “O coaching executivo pode ser eficaz?” Especificamente, se a participação em um programa de coaching estaria associada ao aumento do alcance de metas, ao aumento da resiliência e à diminuição da depressão, ansiedade e estresse, e aumento do bem-estar no local de trabalho. O método de pesquisa foi um estudo controlado randomizado de 41 executivos de agências de saúde, utilizando feedback de 360 graus, um workshop de liderança e quatro sessões de treinamento individuais. O treinamento seguiu uma abordagem focada na solução cognitivo-comportamental. A conclusão do estudo foi que, quantitativamente, o coaching resultou em maior alcance de metas, menor depressão e maior bem-estar no local de trabalho e, qualitativamente, o coaching aumentou a autoconfiança e a percepção pessoal, construiu habilidades gerenciais e ajudou os participantes na mudança organizacional. Além disso, os resultados mostram que mesmo o treinamento a curto prazo pode ser eficaz. O estudo é importante porque é o primeiro estudo controlado randomizado publicado com resultados quantitativos (além de qualitativos) sobre a eficácia do coaching executivo. Green, Oades e Grant (2006) conduziram estudos sobre os efeitos de um programa de treinamento de vida cognitivo-comportamental e de 10 semanas, focado em soluções, para testar sua hipótese de que o programa de treinamento levaria a um maior objetivo, bem-estar e esperança . Além disso, quaisquer ganhos alcançados seriam mantidos ao longo do tempo. O estudo utilizou atribuição aleatória e um grupo de controle da lista de espera. Eles descobriram que sua hipótese era fortemente apoiada por aumentos significativos na busca de objetivos, afetação positiva, bem-estar psicológico e esperança, com resultados mantidos por mais de 30 semanas. No geral, o estudo fornece evidências de que um treinamento cognitivo-comportamental e focado em soluções A abordagem do Coach é eficaz nos domínios relatados e que os ganhos podem ser mantidos ao longo do tempo em uma população não clínica. Além disso, fornece uma estrutura para futuros estudos baseados em evidências. Em 1998, como novo presidente da Associação Americana de Psicologia, o Dr. Martin Seligman desafiou a profissão de psicologia a ampliar seu foco para além dos problemas e patologia humanos, incluindo o estudo das forças e do bem-estar humano – basicamente, o que está dando certo – ou, florescente (Fowler, Seligman & Koocher, 1999). A teoria de Seligman (2010a) descreve o florescimento como maior bem-estar composto por emoções positivas, engajamento, relacionamentos, significado e conquista (PERMA).
É importante entender que a psicologia positiva é diferente das técnicas simples de auto-ajuda ou mesmo psicologia humanística histórica em pelo menos uma área-chave. Difere em sua ênfase na ciência. A psicologia positiva é dedicada a um estudo empírico rigoroso – para saber o que realmente resulta em resultados mensuráveis e refinar essas práticas para criar mudanças mais convincentes. Então, como conseguimos florescer? No campo da psicologia positiva, intervenções positivas são métodos para ajudar as pessoas a deixarem de languir para florescer. Pawelski (2003) descreve a psicologia positiva como um campo dedicado ao estudo, desenvolvimento e aplicação de intervenções positivas que visam aumentar o bem-estar através de fatores sob controle voluntário.  Agora, pouco mais de uma década desde o desafio de Seligman, os pesquisadores dentaram ações que levam a um maior bem-estar. As pesquisas cresceram e pesquisadores como Barbara Fredrickson e Ed Diener, estão provando não apenas relações correlacionais, mas também evidências causais que mostram que o aumento dos componentes do PERMA leva à melhoria da saúde mental, criatividade, cidadania, relacionamentos. , saúde e longevidade e desempenho no trabalho.

Como coach, é fundamental compreender como ajudar os clientes a alcançar um maior bem-estar através de intervenções positivas. Refiro-me a intervenções positivas como “engajamento construtivo para melhorar o nível de felicidade, bem-estar e prosperidade”. Isso evita alguns mal-entendidos ou críticas comuns no campo da psicologia positiva. Primeiro, o termo positivo é frequentemente criticado por implicar que a psicologia tradicional é negativa ou está no extremo oposto de um único espectro. Keyes (2009) sugere que a saúde mental e a doença mental estão em dois continuos diferentes. A saúde mental é mais do que a ausência de doença mental e o contínuo da saúde mental varia de languido a florescer. Embora exista uma correlação modesta entre os dois contínuos, os dados suportam fortemente o modelo de dois fatores (Keyes, 2009). Essa distinção é importante porque, para formuladores de políticas e profissionais, é importante reconhecer que a simples diminuição de condições específicas de doenças não aumentará diretamente as taxas de florescimento. Para ser uma nação saudável, não podemos simplesmente tratar doenças mentais. Devemos aumentar o número de indivíduos e comunidades que estão florescendo. Segundo, o termo intervenção oferece conotações como a implicação de que uma agência externa está abordando um problema. Em vez disso, ofereço engajamento, definido como “um estado ativo ou operacional” e “envolver-se”. 
O engajamento construtivo é menos sobre a definição de termos e mais sobre os resultados desejados, como melhorar o nível de emoções positivas, estilo explicativo (como interpretamos as coisas), nível de realização, senso de satisfação, nível de engajamento, relacionamentos, saúde, significado ou geral bem estar. Em termos simples, tudo se resume a mudanças positivas; mudança que leva a um maior florescimento e bem-estar. Para alcançar essa mudança, são desenvolvidos métodos de engajamento construtivos que utilizam vários constructos teóricos e pesquisados pela psicologia positiva, tais como: atenção e vontade conscientes, hábitos, auto-regulação, auto-determinação, auto-eficácia, inteligência emocional, teoria da esperança, objetivos. teoria do ambiente, conexão mente-corpo, atividade física, resiliência, forças do caráter, espiritualidade, investigação apreciativa, emoções positivas, fluxo e muitos outros. 
Acredito que é essencial entender os elementos filosóficos e empíricos do engajamento construtivo, a fim de ajudar os clientes na mudança. Ao entender a riqueza dos conceitos, podemos entender melhor quais compromissos podem ser mais úteis para alcançar os objetivos dos clientes. Além disso, entender o estado em conjunto da psicologia positiva e coaching é benéfico para o coach.


Coaching é um campo jovem que precisa de rigor contínuo para o sucesso futuro e para evitar se tornar um modismo ou pseudociência. Mantendo uma tensão entre rigor e abertura (produzindo crescimento criativo) enquanto se fundamentam em evidências, o coaching está emergindo como uma protociência que se move em direção à ciência normal. O coaching está florescendo à medida que uma pesquisa de coaching mais sofisticada está sendo conduzida e advertem que uma abordagem baseada em evidências é a base do sucesso. Este artigo é importante na medida em que avalia o estado atual do coaching e estabelece um método pelo qual o coaching pode evitar tornar-se autoajuda, psicologia popular ou pseudociência. 

Você ainda não tem um coach?

the-difference-between-a-consultant-and-business-coach

Coaching é a arma secreta de muitas pessoas de sucesso nos esportes, nos negócios e na política. Essa profissão está crescendo rapidamente e a demanda é maior do que nunca. Nos últimos anos coaching ficou mais acessível  e a quantidade de pessoas que passaram por processos de coaching aumentaram exponencialmente.  Mesmo assim, coaching ainda é usado principalmente a nivel executivo,  como diz William Gibson “O futuro já está aqui, somente que não está distribuído igualmente.”
O CEO da sua empresa tem um coach, e você?
Você deveria, sabe porque?
Coaching significa: “descobertas, consciência, escolhas e mudanças.” É uma série de conversas focalizadas para apoiá-lo no  esclarecimento  das  escolhas e mudanças que você quer fazer na sua vida, na carreira ou nos negócios. Coaching pode ajudá-lo a encontrar o cerne do desafio, os recursos para resolvê-lo e a maneira de como reagir às situações.
Descoberta –  O que você está tolerando? Quem você está se tornando?
O coach convida para a descoberta através de poderosas perguntas provocantes.
Criando claridade no que você realmente quer atingir na sua vida e/ou negócios.
Ajuda você a enxergar por cima dos ângulos cegos e áreas vulneráveis.
Ajuda você a descobrir o espaço entre onde você está no momento e onde você quer ir.
Consciência
O coach ajuda você a ver as suas barreiras de desempenho.
O coach lhe dá uma perspectiva externa.
O coach proporciona o espaço e o tempo para voltar atrás e refletir sobre o seu trabalho e a vida pessoal.
Ele faz perguntas desconfortáveis e provocantes.
Escolhas
Quais são as escolhas que você está fazendo? Quais são as escolhas que você não está fazendo? Quais são as outras opções?
O coach está aqui para desafiar suas escolhas se elas não estiverem alinhadas com seus valores.
O coach pede para você entrar em pocesso das suas escolhas.
O coach desafia você a buscar por avanços.
O coach incentiva você a pensar estrategicamente.

Mudança
Como você vê a mudança? O que é possível? O que você quer? O que está vindo para você?
Às vezes, mudar significa querer mais alguma coisa na vida, às vezes menos:
O coach o coloca responsável pelas promessas feitas.
Ele convida você a desacelerar e relaxar, mas também desafia você a acelerar se você tende a procrastinar.
Ele te empurra quando você se sentir travado.
Reconhece seus esforços.
Brainstorms com você.
Mantém o foco e sempre mantém em mente a grande visão.
Ajuda a criar estratégias de enfrentamento para situações desafiadoras.

Grandes coaches são treinados para:

  • Estar presente
  • Ser curioso
  • Não julgar
  • Falar a verdade e intrometer se você não está sendo verdadeiro para si mesmo
  • Sentir e usar a intuição
  • Escutar profundamente as palavras ditas e as omissas
  • Detectar o desejo genuíno contra vozes de auto-sabotagem
  • Aceitár do jeito que você é
  • Reformular e parafrasear o que você diz para ouvi-lo de uma maneira nova e perspicaz
  • criar um espaço seguro para que você possa sonhar, experimentar e criar estratégias

Ter um coach pode ser fundamental para o seu sucesso pessoal ou da empresa, mas você precisa de um coach? Não necessariamente. Assim como nos esportes, você pode ser bem sucedido com seus próprios meios, mas se você deseja obter resultados mais rápidos e maiores, você contrata um personal trainer. Isso que o coach é. Seu treinador pessoal de sucesso – para apoiá-lo, incentivá-lo e desafiá-lo. Mas no final do dia, é você quem tem de fazer o “exercício”. Seu coach não podera fazer isso por você.
Renato Moreira – Coach Executivo
Eu treino líderes para alcançarem um desempenho e uma carreira de sucesso, através da resiliência, paixão e propósito. Ao aplicar os métodos de introspecção e prática deliberada, ajudo meus clientes remover interferências e desbloquear o que eles já são capazes – o desempenho máximo. Também trabalho one-on-one com especialistas em tecnologia  para ajudá-los a se tornarem grandes administradores.

A nossa maior força vem dos nossos lugares mais escuros

Qualquer pessoa pode se sentir confiante e otimista quando a vida corre bem, mas o que podemos dizer quando as coisas ficam difíceis? É ai que o verdadeiro crescimento acontece.
Todos nós temos recordações de sair fora da nossa estrada quando a vida nos apresenta desafios!
Como lidamos com isso? Como usamos a oportunidade para crescer?
As vezes nos perguntamos: O que esta controlando a nossa vida?
Um fato que sabemos sobre a vida é que ela esta sempre mudando, é como uma montanha russa, as vezes estamos no alto as vezes estamos em baixo, as vezes as coisas vão muito bem as vezes  vão muito mal,  as vezes estamos triste as vezes estamos felizes, isto é o que chamamos VIDA.
Quando começamos a aceitar  que a vida tem momentos altos e baixos, nos momentos baixos é onde o crescimento acontece,  é ali onde o verdadeiro trabalho acontece!
O verdadeiro desafio é quando estamos no chão!
Como você enfrenta os desafios?

Segue o relato de um meu cliente.

 
Há alguns anos, ele se descobriu absorvido num padrão de frustração e raiva. Ele via problemas por todos os lados que se virava. A esse ponto, pensar positivamente não figurava no alto da lista de soluções. Afinal ele era inteligente, e pessoas inteligentes não fazem as coisas parecerem positivas quando não são! Havia muitas pessoas ao seu redor que concordavam com essa ideia (que também se sentiam frustadas com suas vidas!). Ele era incrivelmente negativo na ocasião, e via as coisas piores do que eram. Ele usava o seu pessimismo como escudo. Era uma fraca tentativa de se proteger da dor das expectativas fracassadas: Ele faria qualquer coisa para não ficar desapontado outra vez. Ao adotar esse padrão, a mesma barreira que protegia da dor, isolava do prazer.  Ho impedia de encontrar soluções, e se enterrava em uma tumba emocional, onde nunca se experimenta, onde sempre se justifica as ações limitadas com o argumento – “estou sendo apenas realista”. 

Um dos fundamentos da PNL é a oposição entre fracasso e feedback. Não existe fracasso, o que existe são apenas resultados, que podem ser usados como feedback, correções úteis e uma esplendida oportunidade para aprender algo que passou despercebido. O fracasso é apensas uma forma de descrever um resultado indesejável. Podemos usar os resultados para reorientar nossos esforços. O feedback faz com que não percamos nosso objetivo de vista. O fracasso é um beco sem saída. São duas palavras que representam duas maneiras totalmente diferentes de pensar.
Pessoas bem sucedidas consideram o fracasso parte do crescimento e uma oportunidade para aprender e progredir. Elas acreditam que, por mais que fracasse, vão se levantar e seguir em frente, mais fortes que antes.

Renato Moreira  Coach executivo
Como coach atuo com profissionais e empresarios que buscam desenvolver uma performance criativa e inovadora em ambientes altamente produtivos. Esses profissionais estão dispostos a agir com coragem para atingir os seus objetivos e assumir os riscos necessários para alcançá-los.

“Objetivo – Sucesso “ Como executar a sua estratégia – Como passar do papel para as pessoas

596ProjectPlanner

Como fazer a sua estratégia funzionar – como passar do papel para as pessoas.
Atrair desempenho de ouro aumenta a possibilidade de sucesso.
Muitos dos entrevistados como relata o livro  Making Your Strategy Work: How to Go from Paper to People de Chris Outram,  insistem na importancia  do execesso de investimento em pessoas.  Contratar o melhor, treinar bem, desafiar com frequencia e assumir os riscos em promover mais cedo os colaboradores. Quase sempre você sera recompensado por um desempenho superior. Nos dias hoje,  as empresas precisam de colaboradores expertos e mais preparados, para competir com os concorrentes que estão cada vez mais bem informados e capacitados.
“Pessoas boas produzem resultados bons resultados, as pessoas excelentes irão produzir resultados excelentes.”
Por consequência a principal tarefa do líder é encontrar pessoas excelentes.

“Limpando as plataformas:”

O corolario da conspiração da gestão “É preciso expurgar os colaboradores confirmados como – os duvidosos”. Como observa o CEO Duncan Painter do Grupo Top Right. Ele observa:
“As pessoas são a razão pela qual as empresas falham. Você deve sempre fazer um esforço para trazer os dissidentes de volta para o rebanho, mas se isso falhar remova-os”. Eles potencialmente se tornarão tóxicos. Causando a execução e implementação das estratégias mais difícil e mais cara do que poderia ser.
Os colaboradores duvidosos são um modelo pobre para os juniors, criando um ceticismo que irradia para fora e para baixo em toda estrutura hierárquica da empresa. Se a sua equipe não age como uma equipe,  substitua-la; diz Ian Livingston, CEO da BT Group.  “E faça parte do seu bônus dependente dos objetivos comuns para conduzir a  importância da colaboração.” Arno Mahlert, ex-CEO e CFO da Maxingvest, concorda:. “Os gestores precisam para criar a cultura certa, sendo  verdadeiros modelos. Eles precisam inspirar credibilidade sendo aberto a comentários. Eles também precisam ser capazes de tolerar alguns erros, mas a única coisa que não pode ser tolerada é o comportamento destrutivo. “Estratégias de desenvolvimento precisam de abertura e desafio”, diz John Brock, presidente e CEO da Coca-Cola. “Mas, uma vez que a estratégia está definida, você tem que executar, executar, executar. Você não pode permitir negativismo “.” Se alguém não estiver alinhado, você precisa levá-lo para fora do campo. ” Eles podem ser bons, inteligentes e eficazes em algum coisa, mas se eles estão bloqueando o caminho da execução da estratégia, em seguida, é fundamental removê-los, às vezes você pode mover as pessoas para funções menos críticas. Na sua forma mais extrema, você pode achar que é necessário gerenciar algumas demissões de alto perfil, se livrar dos executivos que não seguem ou não podem seguir o fluxo.
Do livro  Making Your Strategy Work: How to Go from Paper to People de Chris Outram
Estas estratégias na sua forma extrema resultam em cortes e reposicionamento de colaboradores que de um certo modo contribuíram para desenvolvimento da empresa, porem em um cenário atual são vistos como potenciais tóxicos de pessimismo e desmotivadores.  E se ainda existisse uma outra abordagem? Coaching e Programação Neurolinguistica.
O negativismo e a falta de cooperação das pessoas chaves no processo de implementação de estratégias pode e dever ser afrontado com um trabalho de parceria com coaches e uso da PNL. Ultrapassar crenças limitadoras, resignificar e alinhar os colaboradores com a visão, missão e estratégias da empresa são fattores importantes para o sucesso.
Vou citar dois tipos de abordagem de coaching:
Coaching de desempenho:  nesta abordagem o papel do coach é motivar o ”talento” a tomar  medidas em relação a uma certa habilidade ou ambiente, promover uma abertura ao feedback e estabelecer objetivos voltados ao aumento do desempenho.
Coaching de desenvolvimento:  Como ativar no “talento” a habilidade de refletir e mudar pensamentos, crenças, valors e identidades  que estão obstruindo o alcance dos resultados desejados.
 
Neste processo de busca da excelência em todos os aspectos, seja pessoal ou profissional, promove o desenvolvimento de  uma equipe eficaz, desenvolve o pensamento flexível, promove a  abertura aos desafios e novas idéias, compreensão dos valores individuais e da equipe. Engajamento de conflitos com o uso de posições perceptivas a fim de aprender e resolver conflitos e situações indesejadas. Adoção de Modelos de Níveis Lógicos para entender o propósito e os valores, e o que isto afeta nas mudanças do comportamento. Ressignificação da responsabilidade como algo que não pode ser dado, só pode ser conquistado.

Renato Moreira – Coach Executivo e palestrante em cursos de desenvolvimento pessoal.

Como coach atuo com profissionais e empresarios que buscam desenvolver uma performance criativa e inovadora em ambientes altamente produtivos. Esses profissionais estão dispostos a agir com coragem para atingir os seus objetivos e assumir os riscos necessários para alcançá-los.

THE STORY, THE REFRAME

575990_10151804910299778_1380555721_n
THE STORY
It happened at a New York Airport. This is hilarious. I wish I had the guts of this girl. An award should go to the United Airlines gate agent in New York for being smart and funny, while making her point, when confronted with a passenger who probably deserved to fly as cargo. For all of you out there who have had to deal with an irate customer, this one is for you.
A crowded United Airlines flight was canceled. A single agent was re-booking a long line of inconvenienced travelers.
Suddenly, an angry passenger pushed his way to the desk. He slapped his ticket on the counter and said, “I HAVE to be on this flight and it has to be FIRST CLASS.”
The agent replied, “I’m sorry, sir. I’ll be happy to try to help you, but I’ve got to help these folks first;  and them I’m sure we’ll be able to work something out.”
The passenger was unimpressed. He asked loudly, so that the passengers behind him could hear, “DO YOU HAVE ANY IDEA WHO I AM?”
Without hesitating, the agent smiled and grabbed her public address microphone. “May I have your attention, please?”, she began, her voice heard clearly throughout the terminal. “We have a passenger here at Gate 14 WHO DOES NOT KNOW WHO HE IS. If anyone can help him with his identity, please come to Gate 14”.
With the folks behind him in line laughing hysterically, the man glared at the United Airlines agent, gritted his teeth, and said, “F*** You!”
Without flinching, she smiled and said, “I’m sorry sir, you’ll have to get in line for that, too.”
Life isn’t about how to survive the storm, but how to dance in the rain.
THE REFRAME:
Reframing is another way of looking at things. The concept of cognitive reframing consists of changing the way people see things and trying to find alternative ways of viewing ideas, events, situations, or a variety of other concepts. And interpreting language is one way. The air line agent was very quick in responding to this and also to reframe. This was something she did in a speedy way.
Comedians use reframing a lot and reframing usually has a humorous effect. In this case the effect on the customer was the opposite and therefore reframing can have different effects and can be found with or without so called “rapport”, or having a click with someone.
Reframing has a huge effect on the subconscious mind. It breaks thinking and especially in cases of problem thinking or limiting beliefs.
Well, a problem is never a problem actually. It is a state in which you approach a context right?!
And a limiting belief is only limiting when you see it as limiting right, just like there is always another direction for the things you don’t want. It is usually the things you want.


As a coach I invite my clients to expand the workspace. Many limitations are self imposed. We are prisoners of our own minds. We wake up each morning and act out a story we have written about who we are and the role we play in our family, community, and organisation. We have a personal narrative about what is possible for us, what can be done and what cannot, and then we live our lives within that script, re-creating and solidifying the store each day. Through the intense and candid dialogue of a coaching relationship, we are able to learn about how we have been crafting these scripts and begin to see where we have placed arbitrary boundaries around ourselves.

One of the greatest values that coaching has to offer is that it demands action. Coaching beings with a conversation, but the real work starts when the Talent (coachee)  goes back to his  life and being to behave differently. Through this process, he learns that previous limitations no longer exits and in fact, they never did. He expands the range in which he can act, and in so doing, increases his “response-ability.”
Renato Moreira

Cos’è il coaching

Il Coaching è una disciplina relativamente nuova in Italia, ma che si è affermata negli Stati Uniti oltre 50 anni fa.

Affonda le sue radici nelle neuroscienze e nel business management. E’ un progetto di crescita mirato, con traguardi specifici, che facilita il cambiamento, attraverso un percorso autorigenerativo.

Il cliente è responsabile di ogni suo passo, il Coach lo aiuta a diventare consapevole dei suoi obiettivi e a realizzarli al meglio.

Il Coaching è uno strumento altamente efficace che aiuta le persone a far quadrare il bilancio della propria vita privata o professionale, a migliorare i rapporti con gli altri, scoprendo le strategie più adeguate per raggiungere i propri obiettivi.

 
Non è una psicoterapia, né un’alternativa alle terapie psicologiche, ma può coesistere con tali approcci.
 

Perché scegliere un Coach

Perché aiuta a:
  • individuare con chiarezza obiettivi personali e professionali
  • trovare le motivazioni a procedere, individuando le strategie più adeguate
  • diventare consapevoli delle proprie capacità e potenzialità
  • risolvere con successo i problemi
  • migliorare l’autostima ed acquisire sicurezza
  • comunicare con efficacia
  • gestire al meglio i rapporti con gli altri
  • ampliare il giro d’affari
  • sviluppare la leadership
  • orientarsi nello studio e nel lavoro
  • trovare un equilibrio tra la vita privata e quella professionale
  • trovare il coraggio di cambiare il corso della propria vita
Chi è il Coach
Le cose non cambiano, siamo noi che cambiamo
(H.D. Thoreau)
 
Il Coach è un consulente qualificato, un trainer esistenziale che fornisce gli strumenti e il metodo più adeguato per realizzare progetti di sviluppo personale e aziendale, stimolando le motivazioni per procedere.
E’ un facilitatore, che si affianca al cliente per trovare le soluzioni più idonee nei tempi più brevi. Il coach sa valutare i talenti e identificare i bisogni. Fornisce a chiunque sia in difficoltà o voglia sviluppare le proprie potenzialità, gli strumenti e il metodo per individuare e raggiungere i propri obiettivi, sia nella vita privata, che professionale (manager, professionisti, imprenditori, gruppi di lavoro).
Il Coach lavora con persone e team sulle resistenze al cambiamento, sviluppa l’autostima, il potenziale e le competenze del saper fare e saper diventare per raggiungere gli obiettivi prefissati.

Come lavora il Coach

Ascolta
Il Coach ascolta attivamente il cliente, ciò che esprime, ciò che tenta di dire e quello che non dice. Il Coach chiede, legge tra le righe, intuisce, rielabora, razionalizza la dimensione emotiva che ostacola il cammino e sviluppa l’intelligenza emotiva.
Aiuta il cliente a riconoscere i suoi bisogni, a verificare valori, idee e azioni, rendendolo consapevole del proprio potenziale e pronto a cogliere al massimo le opportunità, favorendo la sua crescita.
Focalizza
Il Coach affianca il cliente per individuare le modalità più adatte, più naturali alle sue esigenze, per valutare realisticamente le strategie più adatte per raggiungere i traguardi stabiliti, ma senza trascurare mai i bisogni complessi della persona, nel rispetto del suoi equilibri tra la vita personale e professionale.
Il Coach aiuta il cliente a trasformare i sogni e i desideri in progetti concreti, valutando la forza delle sue motivazioni. Lo stimola a focalizzarsi sulle priorità, a razionalizzare il cammino intrapreso, senza farsi distogliere da falsi problemi e da resistenze personali al cambiamento.
Valorizza
I consigli del Coach in realtà sono le verità del cliente, il Coach lo aiuta solo a renderle evidenti. Il Coach non è mai direttivo, non impone il suo punto di vista, ma lo confronta con quello del cliente per ampliarne il raggio d’azione.
Il cliente scopre che la strada si apre camminando e insieme al coach trova le risposte che ha già dentro di sé. Trasformerà i “vorrei”, in “voglio”, i “potrei”, in “posso”, comprenderà che le resistenze personali sono il primo ostacolo al raggiungimento dei propri traguardi.
Sostiene
Il Coach rende consapevole il cliente, lo prepara a prevenire gli ostacoli, a valutarli e a essere pronto a superarli, a comprendere che i problemi per essere risolti non vanno evitati ma affrontati con gli strumenti adeguati.
Il Coach sostiene il cliente nei momenti di scoraggiamento, lo aiuta a valorizzare le pause dovute a mancanza di energia, a rinforzare una scarsa autostima, a combattere la paura dei cambiamenti.
Sfida
Il Coach agisce sfidando e stimolando il cliente a scoprire le sue vere ambizioni, rendendolo responsabile della qualità della propria vita, personale e professionale. Il Coach aiuta a rispettare le scadenze, propone metodi, strategie e strumenti.
Tra una sessione e l’altra il Coach assegna “compiti”, obiettivi intermedi, azioni o cambiamenti che il cliente deve svolgere.

Renato Moreira – Business coach

3 decisões que ditam a qualidade da vida!

Não tem nada pior do que uma pessoa rica que é cronicamente nervosa e infeliz. Não encontro desculpas para isso, mesmo assim eu vejo este fenômeno todos os dias. Isto  é o resultado de uma vida desiquilibrada, com muitas expectativas e sem apreciação suficiente por aquilo que foi conquistado.
Sem gratidão e apreciação por aquilo que possue, você nunca descobrirá a verdadeira realização, a profunda sensação de satisfação. Então como cultivar o equilíbrio na vida? Qual é a razão da conquista se a vida não tem equilíbrio.
Como coach tive o privilegio de trabalhar com CEOs de grandes empresas, executivos, empreendedores, profissionais dos setores mais variados e aprendi que  a qualidade da nossa vida é ditada pelas nossas decisões.
coracoralina
Primeiro, cuidadosamente escolha no que focar, a cada  momento, milhões de estímulos  competem pela sua atenção, você pode focar naquilo que esta acontecendo neste momento ou no que você quer criar no futuro ou focar no passado, a onde o foco está a energia flui, a onde você direciona o foco a sua vida molda-se!
Em qual área você costuma focar mais: no que você tem ou no que está faltando?
Eu tenho certeza que você pensa nas duas, mas se você examinar os pensamentos habituais qual seria o que você passa mais tempo?
Em vez de focar no que você  não possue e invejar aqueles que estão melhores financeiramente, talvez você deveria reconhecer que você possue  muito para sentir-se grato,  muitas vezes  não tem nada a ver com bens materiais. Você pode ser grato pela sua saude, família, amigos, oportunidades e pela a sua mente.
Desenvolver o hábito de apreciação pelo que você possue cria um novo nível de bem estar emocional e riqueza. Mas a pergunta é: você toma o tempo necessário para sentir a gratidão profunda com a tua mente, corpo, coração e alma ? Com que freqüência você para pra refletir sobre as suas conquistas ? É ali que encontrará alegria, felicidade e realização.
Considere um outro ponto, onde focar o que afeta a qualidade da sua vida: você costuma focar no que você pode controlar ou no que você não pode controlar ?
Se você focar no que você não pode controlar, terá mais estress na vida. Você pode influênciar muitos aspectos da sua vida  mas normalmente não poderá controlá-los.
Quando você adota esta estratégia de foco a sua mente tem que tomar outras decisões.
Segundo,  significado!
Como você sente sobre a sua vida não tem nada a ver com os acontecimentos ou a sua situação financeira ou sobre o que aconteceu ou não para você. A qualidade da sua vida é controlada pelo significado que você dá a esses acontecimentos.
Na maioria das vezes você pode não estar consciente do efeito da sua mente inconsciente na atribuição dos significados e acontecimentos da vida.
Quando acontece alguma coisa que pertuba a sua vida (um acidente de carro, uma questão de saúde, uma perda de emprego) você tende a pensar que este é o fim ou o começo?
Se alguém te confronta,  esta pessoa está te insultando, te ensinando ou realmente se preocupando com você?
Será que enfrentar um problema devastador significa que Deus está punindo ou desafiando você ?
Sua vida tem o significado que você dá a ela! Cada significado vem com uma sensação única ou emoção e a qualidade da sua vida envolve como você vive emocionalmente.
Quando você da um novo sentido, uma razão para viver ou uma crença, você será mais forte. Quando as pessoas mudam o seu foco habitual e significados não há limites para o que a vida pode se tornar. A mudança de foco é uma mudança de significado, que pode literalmente alterar a bioquímica de alguém em minutos.
Então tome controle e lembre: significado é igual a emoção e a emoção é igual a vida. Escolha conscientemente e com sabedoria onde focalizar. Encontre um significado poderoso em cada evento e você encontrará a riqueza.
Terceiro, o que fazer a respeito!
As suas ações são fortemente moldadas pelo estado emocional em que você está. Se você está com raiva, você vai se comportar  de maneira muito diferente do que se você estiver sentindo brincalhão ou ultrajante.
Se você quiser dar forma as suas ações, a maneira mais rápida é a mudança no que focar assim mudando para algo mais empoderado.
Algumas pessoas expressam raiva em silêncio, outros em voz alta ou violentamente. No entanto, outros suprimem apenas para procurar uma oportunidade passivo-agressivo para recuperar a vantagem ou mesmo vingança.
De onde vêm esses padrões?
Nos tendemos a modelar nossos comportamentos baseados sobre aquelas pessoas que respeitamos, admiramos, nos identificamos e gostamos.
Quando as pessoas te deixam irritado ou frustado frequentemente você rejeite este comportamento, mas acabamos nos comportando desse modo, esses são comportamentos que foram testemunhados por  nós durante a nossa infância e juventude e nos incomodam.
E muito util tornarmos cientes dos nossos padrões quando estamos frustados, irritados ou sentido solitário, você só poderá mudar seus padrões  se você estiver ciente deles!
Agora que você está ciente do poder das três decisões, comece a procurar modelos de pessoas que estão experienciando o que você quer da vida. Eu prometo a você que aqueles que possuem um relacionamento apaixonado com a vida  têm um foco totalmente diferente e  eles encontram significados totalmente diferentes para os desafios, muito mais do que as pessoas que estão constantemente brigando ou lutando.
Quando você se torna ciente das diferenças no modo de se aproximar a estas três decisões, você vai ter um caminho para ajudá-lo a criar uma mudança positiva  e permanente em qualquer área da vida.

Renato Moreira  Coach executivo
Como coach atuo com profissionais e empresarios que buscam desenvolver uma performance criativa e inovadora em ambientes altamente produtivos. Esses profissionais estão dispostos a agir com coragem para atingir os seus objetivos e assumir os riscos necessários para alcançá-los.

Os hábitos que sabotam a sua felicidade!

Os nossos hábitos moldam e nos transforma  naquilo que somos hoje. São eles que nos movem para a frente ou nos impedem de avançar.
Infelizmente, quando se trata de hábitos, é muito mais fácil ganhar maus hábitos do que um bom hábito. Isto  acontece porque os maus hábitos são geralmente fáceis de ganhar, uma vez que acarretam pouco esforço. Por outro lado, o bom hábito exige esforço e auto-disciplina. Assim, são muito mais difíceis de adquirir.

“Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então não é um ato, mas um hábito.” – Aristoteles

Segue a lista dos hábitos que sabotam a felicidade:

1. Focar na história dos outros, exceto na sua própria.
Você fica tão satisfeito com as histórias de sucesso dos outros e como as coisas aconteceram para eles que você se esquece de escrever a sua própria historia. Escreva sua própria história e traga à vida. Você tem tudo que precisa para tornar-se o que você é capaz de se tornar. Mudanças incríveis acontecem quando você decide tomar o controle. Isso significa consumir menos e criar mais. Significa recusar-se a deixar que outros controlem o seu pensamento, falem e decidam por você. Significa aprender a respeitar e usar suas próprias idéias e instintos para escrever a sua história.
Se você quiser que sua história de vida suba a novas alturas, você tem que limpar o caminho, reduzir o peso que te  puxa para baixo e adquirir hábitos  que  lhe dão asas. Mantenha seus melhores desejos e seus maiores objetivos perto de seu coração e dedique tempo a eles todos os dias. Se você realmente se preocupa com o que você faz e  trabalha com afinco para isso, o céu é o limite para as tuas realizações.
2. Esperar o momento perfeito.
Não entre no mito do momento perfeito. Momentos não são perfeitos; eles são o que você faz deles. Então, muitas pessoas esperam as “estrelas se alinharem” ao invés de fazer o que estamos aqui para fazer. O momento perfeito, a oportunidade perfeita, o estado perfeito de ser, etc. Acorde! Esses estados de perfeição são mitos. Eles não existem.
Sua capacidade de crescer ao seu potencial está diretamente relacionado com a sua vontade de agir na face da imperfeição. Você não terá sucesso esperando encontrar um momento perfeito, mas aprendendo a ver e usar as imperfeições da vida perfeitamente.

3. Trabalhar por nada mais do que um salário.

O trabalho por um salário é uma de prisão. Mesmo que você não seja super-apaixonado pelo seu trabalho, você tem que pelo menos estar interessado nele. Quando você cria um estilo de vida em que o seu trabalho é algo que você sofre diariamente e estritamente para pagar suas contas, você acaba gastando toda a sua vida desejando o que as outras pessoas possuem.
Pense nisso. Esta é a sua vida; seu trabalho vai preencher uma grande porcentagem dela. Não é sobre o dinheiro; é sobre você. Ignore a propaganda, especialmente de pessoas que dizem: “Não deixe o seu trabalho defini-lo.” Reverta para esta mensagem: “Vou fazer o trabalho que me define” e foque nisso. Quando a essência de quem você é define pelo menos uma parte do trabalho que você faz para viver,  este trabalho gera satisfação.
Ponto de Partida: O interesse no seu trabalho coloca qualidade na sua produção e felicidade na sua mente. Não se contente somente com o salário. Troque de emprego até encontrar trabalho que lhe de satisfação.
4. Nutrir sentimentos de ódio.
Como Martin Luther King Jr. disse: “A escuridão não pode expulsar as trevas; apenas a luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio; só o amor pode fazer isso”. Verdade seja dita: quando nutrimos sentimentos de ódio, as pessoas não recebem o melhor de nós. O ódio assume o controle de nossas vidas. Nos esquecemos, por isso que odiamos, o que odiamos e quem odiamos – nós simplesmente odiamos por odiar. E então, naturalmente, começamos a nos odiar também.
Tudo e todos que você odeia rende espaço permanente em sua cabeça e no coração. Então, se você quer eliminar algo ou alguém na sua mente, não odeie. Em vez disso, desligue-se, siga em frente e não olhe para trás.
5. Guardar preocupações e medos.
Algum dia, quando olhar para trás e ver sua vida você vai perceber que quase todas as suas preocupações e temores ansiosos nunca chegaram a se concretizar – eles foram medos completamente infundados. Então por que não acordar e perceber isso agora. Quando você olha para trás ao longo dos últimos anos, quantas oportunidades de alegria que você destruiu com preocupação desnecessária e negatividade? Embora não há nada que você possa fazer sobre estas alegrias perdidas, há muito que você pode fazer sobre as que ainda estão por vir.
Você vai descobrir que é necessário abandonar algumas coisas, simplesmente pela razão de que elas estão pesando ​​em seu coração e alma. Não coloque algemas em seus próprios tornozelos. É incrivelmente fácil desfrutar o melhor da sua vida agora, não importa qual seja a situação. É só uma questão de deixar de lado os pensamentos  negativos que estão te puxando para baixo.
Deixe de lado suas preocupações e medos, sua raiva e ciúme, sua necessidade de estar sempre certo e ter os outros sob controle. Deixe de lado a sua pretensão e sua necessidade de ter tudo à sua maneira. Debaixo de todas essas camadas de exagero, existe uma pessoa feliz e produtiva. Quando você começa a remover essas camadas  e simplesmente apreciar por tudo aquilo que você  é, a vida pode ser maravilhosamente gratificante.
6. Viver em dificuldades.
Um dia ruim é apenas um dia ruim. Escolha não torná-lo mais do isso. Tempos de adversidade, inevitavelmente, afetam as condições em que vivemos e trabalhamos; mas você não tem que deixar isso afetar quem você é e para onde está indo. Tome nota dos contratempos e ajuste-se a eles, mas não os expanda,  não os torne  uma parte maior na sua vida.
Cada dia traz novas lições e novas possibilidades. Há sempre uma maneira de dar o próximo passo a frente no caminho que você escolheu. Os eventos podem ser terríveis e inevitáveis, mas você sempre tem a escolha.
7. Constantemente buscar satisfação fugaz.
Existem duas variações de contentamento na vida – fugazes e duradouras. O tipo fugaz é derivado de instantes de conforto material, enquanto que o tipo duradoura é alcançada através do crescimento gradual da sua mente. É uma visão que poderia ser difícil de distinguir uma da outra, mas com o tempo, percebemos muito obviamente, que este último é muito superior.
Contentamento durável se sustenta por altos e baixos da vida, porque através deles o seu espírito mantém-se confiante e em paz. Por outro lado, quando as mudanças fugazes da vida tem a capacidade de irritar sua mente em um frenesi, até mesmo os confortos físicos mais elaborados não farão  você  mais feliz por muito tempo.
8. Tentar fazer uma grande diferença de uma só vez.
Se você quiser fazer diferença no mundo, comece com o mundo ao seu redor. Fazer uma grande diferença de uma só vez é, geralmente impossível, e o processo de tentar é extremamente estressante. No entanto, fazer imediatamente a diferença em algumas vidas é perfeitamente possível e, geralmente, bastante fácil. Você apenas tem que se concentrar em uma pessoa de cada vez e começar com o mais próximo a você.
Trabalhe para fazer um monte de pequenos gestos e deixe as ondas espalharem naturalmente. Se você quer mudar a mente ou o humor de uma pessoa, às vezes você tem que mudar as mentes ou humores das pessoas ao redor delas em primeiro lugar. Por exemplo, se você faz uma pessoa sorrir, seu sorriso só pode fazer os outros sorrirem também. Desta forma sutil, você pode tocar as pessoas com seu reflexo, sem se estressar.
9. Prender-se a alguém que te machuca.
Às vezes você tem que se afastar das pessoas, não porque você não se importa com elas, mas porque elas não se importam com você. Quando alguém te machuca uma vez, depois outra vez e mais outra, aceite o fato de que essa pessoa não se importa com você. É uma pílula difícil de engolir, mas é o remédio necessário. Não se esforce para impressionar ela ainda mais. Não perca mais um segundo de seu tempo tentando provar alguma coisa para ela. Nada precisa ser comprovado. Não gaste  mais pensamentos com ela.
10. Super valorizar a importância da beleza física.
Apaixonar por alguém simplesmente por sua aparência física é como escolher sua comida favorita com base na cor, em vez de gosto. Não faz nenhum sentido. São invisíveis as características quantificáveis ​​que criam atração duradoura.
Assim como algumas pessoas gostam do cheiro da menta, enquanto outros preferem o cheiro da canela, existe algo indiscutível, magnético, que nos atrai para as qualidades de certas pessoas, lugares e coisas. Às vezes até mesmo as cicatrizes da nossa alma cria os próprios elos que nos mantêm juntos a longo prazo.
Seja feliz!!

Renato Moreira  Coach executivo – Ajudo os meus clientes a encontrar clareza e ganhar confiança para transformar  suas vidas, conduzindo seus negócios para um alto nível. Sou palestrante em cursos de desenvolvimento pessoal e PNL, atualmente vivo entre a Holanda e o Brasil.

Como promover “Responsabilidade”!

accountability-and-authority
Um tema muito recorrente entre meus clientes é a frustração resultada quando um colaborador  não conclui uma tarefa no tempo determinado.
Há muitas razões para isso:
A pessoa não é boa em administrar o seu tempo.
A pessoa se esqueceu ou não percebeu a importância do compromisso.
A pessoa concordou com o seu pedido, mas nunca teve a intenção de executar o compromisso.
A pessoa não verificou que tinha outros planos que afetariam a sua agenda.
A pessoa estava planejando em boa fé concluir a tarefa no tempo determinado, mas levou mais tempo do que o esperado.
A pessoa tem medo de dizer que não pode entregar a tempo (ou entregar a tarefa completa)
Há muitas formas de dar seguimento aos compromissos, mas primeiro você precisa ter clareza sobre o que está sendo requisitado. Não faça suposição; tome o tempo necessário para obter clareza sobre o pedido.
Responsabilização inclui:
  • Ter um plano claro, acordado com todos os participantes
  • Ter etapas com ações claras e complementadas por discussões
  • Ajudar a outra pessoa entender a importância do compromisso e o que mais pode ser relevante
  • Obter clareza sobre como a tarefa será monitorada
A sequência da responsabilização
 
1. As quatro partes solicitadas:
 
Você não pode simplesmente dizer a uma pessoa para entregar algo em uma determinada data e assumir que isso será feito no tempo e a sua satisfação. Em vez disso, você precisa confirmar que a pessoa entenda o que foi solicitado e se ela tem o tempo e a competência para completar a tarefa.
Às vezes, as opções e possibilidades soam bem, mas na hora de implementá-las isto é uma outra história. A discussão sobre a prestação de contas destina-se a criar uma forma de manter a outra pessoa responsável pelo seu compromisso. Isto também garante que a outra pessoa tenha a motivação interna suficiente para completar as próximas etapas.


Ao fazer um pedido, há quatro itens que precisam ser esclarecidos.

Tarefa: Esclarecer a tarefa. Será que a pessoa tem tempo e habilidades para completar o que foi solicitado?
Entrega: O que exatamente deve para ser entregue? (Você pode entender o seu pedido, mas a outra pessoa?)
Esclarecer o pedido: Solicite uma data de entrega e pergunte se a pessoa pode completar a tarefa no tempo determinado.
Esclarecer como / quando  renegociar se as circunstâncias mudarem e a outra pessoa não puder completar o pedido no prazo determinado. A renegociação deve ocorrer com o tempo suficiente para fazer outros planos.
Quem mais precisa fazer parte desta tarefa? Talvez o gerente da pessoa precisa saber que ela está executando esta tarefa.
Medidas: Como ambas as partes sabem que o pedido foi concluído? O que exatamente deve ser entregue?
Motivação: Porque é importante completar o pedido? Quem será afetado se for realizado ou não? Porque o cronograma é importante e quanta flexibilidade existe?
No final da discussão deve-se produzir um plano que defina:
  • Um pedido claro
  • A data de entrega
  • A descrição do que deve ser entregue ou como devera aparecer
  • Como é que vai ser entregue
  • Como renegociar o pedido (isto deve ser feito enquanto ainda há tempo para encontrar soluções alternativas)
2. Dicas
 
Você pode fazer um pedido, mas certifique-se de que a pessoa tem a oportunidade de negociar a entrega, caso contrário  ela vai concordar com o seu pedido só para agradar você.
Se a pessoa não puder entregar a tempo, então engaje com ela em um processo de resolução de problemas. Outros compromissos talvez possam ser  renegociados.
3. Conclua a reunião!  Wrap Up
 
Antes de encerrar a reunião, peça para outra pessoa repetir o que foi concordado.
Em PNL isto se chama BACKTRACKING 
Renato Moreira, Coach executivo – Ajudo os meus clientes a encontrarem clareza e ganharem confiança para transformarem as suas vidas e levar os seus negócios para um alto nível. 

É hora de parar de se importar com o que as pessoas pensam!

confidence 2

Somos todos culpados! Todos os dias, a partir do momento que acordamos, vivemos nossa vida a importar com o que os outros pensam de nós.
Nós aceitamos o “status quo” por aquilo que ele  é, porque pensamos que todo mundo em torno a nós fazem assim.  Da cabeça a pontas dos pés conduzimos a nossa vida para agradar os outros e não por aquilo que acreditamos. Eventualmente as nossas ações, aparência e vida se tornam moldados pela forma como nós pensamos que outras pessoas nos percebem.
Como devo me vestir? O que meus colegas vão dizer se eu falar sem pensar? Aquelas pessoas  estão falando de  mim nas minhas costas? Se eu assumir  este trabalho, o que os meus amigos e a minha família vão pensar?
Só de escrever esse parágrafo já me deu dor de cabeça. É cansativo. É terrível. Isso tem que parar.
Viver uma vida que segue os ideais e noções de vida que as outras pessoas acham que deve ser, é uma péssima maneira de viver. Faz com que você se torne um espectador covarde, que espera para que as outras pessoas ajam primeiro. Faz com que você se torne um seguidor. O pior de tudo, isto faz você se tornar alguém que não toma nenhuma posição em nada.
Hoje é o último dia que vivemos uma vida ditada pelos outros. Hoje, nós vamos ir ao fundo do poço. Hoje é o dia em que vamos parar com isso.
Ninguém realmente se importa
Acredite ou não, não somos tão especiais. Podemos passar o dia pensando sobre como as outras pessoas estão nos julgando. Mas a verdade é — as pessoas estão pensando a mesma coisa. Ninguém na sociedade de hoje “smartphone-enlouquecido” tem  tempo para pensar mais do que um breve segundo sobre nós. O fato da questão é, quando temos tempo para esclarecer nossos pensamentos, nós estamos muito ocupados pensando em nós mesmos e nos nossos próprios defeitos, não nos defeitos dos outros.
Um estudo feito pela National Science Foundation alega que as pessoas têm, em média, mais 50.000 pensamentos por dia. Isto significa que mesmo se alguém pensou em nós dez vezes em um dia, é apenas 0,02% de seus pensamentos diários em geral. É uma verdade triste, mas simples, as pessoas em média filtram seu mundo através de seu ego, significa que elas acham que a maioria das coisas relacionam com “me” ou “meu”. Isto significa que, a menos que você tenha feito algo que afetou diretamente a outra pessoa ou sua vida, ela não vai gastar muito tempo pensando em você.
Sempre gostei de assistir os artistas de rua tentando extorquir algumas moedinhas nas estações do metro da cidade de Nova Iorque . Os passantes simplesmente não dão a mínima. Mas a observação mais interessante que eu fiz é como reagem os espectadores. Ao invés de assistirem os artistas reais, a maioria das pessoas estão olhando em volta para ver como as outras pessoas estão reagindo. Se as pessoas estavam rindo, começavam a rir também. Mas se as pessoas não estavam prestando atenção, eles também faziam o mesmo.
Até mesmo quando fornecido pela oportunidade de julgar alguém, as pessoas ainda estão pensando em como os outros poderiam percebê-las. Depois de entender como funciona a nossa mente, estamos fazendo um grande passo em direção a liberdade emocional.
Não é possível satisfazer todo mundo 
É impossível fazer jus às expectativas de todos. Sempre haverá pessoas, não importa o que dizemos ou como as tratamos, elas sempre irão nos julgar. Se você esta na academia, no trabalho, dirigindo,  online no facebook, até mesmo neste momento enquanto você lê esta frase, isto está acontecendo.
Você nunca será capaz de impedir que as pessoas o julgue, mas você  pode mudar o modo como isto te afeta.
Pense na pior coisa que pode acontecer quanto alguém esta julgando você ou julgando o que você esta fazendo. Eu garanto que as chances são ….. nenhuma,  acontecera absolutamente nada. Ninguém vai deixar a  vida ocupada com seus próprios desafios e preocupações  para confrontar-nos, ou até mesmo reagir sobre esse assunto. Porque como eu mencionei antes, ninguém realmente se importa.
O que vai acontecer é:  as pessoas irão  respeita-lo  por você ter conquistado o teu espaço.  Elas podem discordar de você, mas vão te respeitar quando você começar  a mostrar o que você acredita — causas, opiniões, qualquer coisa. Lembre que as pessoas sempre irão discordar de você, então por que não expressar como você realmente sente? Eu aprendi que é melhor ser amado por algumas pessoas que se preocupam,  do que desejar ser amado por todos. Estas pessoas são a família, os amigos, seu esposo ou esposa — as pessoas que amam você por quem você é, as pessoas que estarão lá, para você, durante seus piores momentos. Concentre-se nas pessoas que te consideram. Elas são as únicas que realmente se importam.
Você colhe o que você semea
Se preocupar muito com o que os outros pensam pode se tornar uma profecia auto-realizadora, porque o modo em que pensamos começa a se tornar a maneira como nos comportamos.
Esta atitude nos transforma em indivíduos  que fazem de tudo para agradar e são excessivamente conciliadores para os outros,   pensam que isto vai impedir de ser julgado. Na verdade, isto é o oposto. A maioria das pessoas não gostam desta atitude bajuladora. O comportamento que temos na tentativa de agradar os outros, pode realmente causar o efeito oposto. Isto significa que se você é um  “força barra”, você vai atrair outros “força barra”  na tua vida. Criando um circulo vicioso.
Em media nós frequentamos cinco  pessoas no nosso circulo pessoal estreito. Quando começamos a atrair e associar com as  pessoas que compartilham as mesmas fraquezas — estamos presos. Vamos parar de crescer, porque não há ninguém que nos desafie. Começamos  a pensar que esta é a norma e continuamos sempre dentro na nossa zona de conforto. Este  não é o lugar que você quer ficar.
Agora vamos falar sobre a cura!
Aqui apresento cinco maneiras como parar de levar a serio o que a pessoas pensam de você: Recupere a sua liberdade!
1. Você precisa saber o que é importante para você na tua vida, o que você realmente valoriza e o que você está realmente procurando. Qual é a tua voz?
Uma vez que você sabe quem você realmente é, e o que importa para você, o que os outros pensam de você torna-se significativamente menos importante. Quando você sabe os seus valores, você tem algo para  acreditar. Você vai parar de dizer sim a tudo. Em vez disso, você vai aprender a dizer não, por exemplo, quando amigos fazem pressão para  freqüentar bares, ou quando uma  oportunidade tentadora  distrai você  do seu objetivo. Quando você tem seus valores alinhados você tem uma direção para seguir.
2. Coloque a sua cara la fora,  agora que você sabe quais são seus valores, é hora de se expor. Isso pode ser feito de várias maneiras. Aqui estão algumas sugestões:
Crie um blog
Fale em publico
Flerte com alguém
Convide alguém para sair
Tenha em mente que quando você está fazendo  uma dessas atividades, você tem que falar o que você  pensa. Seja honesto consigo mesmo e com o que você compartilha, porque o mundo não precisa de mais  pessoas sem opinião própria, de meros  seguidores!
3. Circundate de rosas, ama, bebe e cala. (Fernando Pessoa) – Circunda-se  de pessoas que são auto-confiantes e viva uma vida sem comprometer o núcleo dos seus valores. Estas pessoas o influenciarão rapidamente.
4. Crie uma “Lista de crescimento” –  Uma lista de crescimento é composta de todas as coisas que te deixam desconfortável. São os medos, inseguranças — qualquer coisa que lhe causa nervosismo. Comece a escrever todas as coisas que fazem você se sentir desconfortável. Então execute uma por uma, repita novamente a lista… depois repita novamente a lista até chegar ao ponto que não lhe causa mais desconforto.
Por exemplo: A minha primeira tarefa de crescimento consistia em tomar uma ducha fria (Libro The Flinch – Julien Smith). Eu deixei a água tão fria quanto poderia ficar, eu podia sentir meu corpo tremer antes mesmo de  entrar no chuveiro. Esta foi a voz interna na minha cabeça falando. Foi difícil no começo. Mas, surpreendentemente, ficou mais fácil na segunda vez. Então ainda mais fácil na terceira vez. Antes que eu percebesse, meu corpo parou de tremer — já não estava mais desconfortável. Eu havia conquistado o meu medo. Este exercício faz maravilhas.  Porem você pode ler todos os livros do mundo sobre como ser confiante ou superar seus medos, mas se você não agir,  será somente alguém que leu como andar de bicicleta sem nunca ter experimento dar uma pedalada.
5. Viaje  sozinho –  se você está procurando por uma  experiência de transformação completa que combina todos os pontos acima, você deve viajar sozinho. Viajando com outras pessoas pode ser divertido, mas você não vai ter a oportunidade de realmente sair da tua zona de conforto. Você vai ser exposto a diferentes culturas e  normas sociais  que você nem sabia que existiam e finalmente, será forçado a estourar sua pequena bolha de sabão em que você vive.
Leve o mínimo possível, tudo deve caber em uma mochila. Planeje nada, exceto um bilhete de ida para seu destino — descubra  o resto quando  você estiver lá. Acredite, você vai ficar bem. No começo não vai  ser fácil, mas não desanime. Estar confortável com o desconfortável crescerá com o tempo. Eu continuo a lutar com isso todos os dias, como muitos outros. Mas você precisa começar hoje.
O mundo já está cheio de pessoas que obedecem regras e opinões ditadas por outras pessoas. Mas as pessoas que não se importam com o que os outros pensam são aquelas que mudam o mundo. Comece a viver a vida da maneira que você deseja,
não tenha medo, seja como aquela criança que você era, sem medo,  defenda sempre a tua verdade. Redescubra a sua voz!

Renato Moreira  Coach executivo – Ajudo as  pessoas a encontrar clareza e ganhar confiança para transformar  suas vidas e levarem os seus negócios para um alto nível. Sou palestrante em cursos de desenvolvimento pessoal e PNL, atualmente vivo entre a Holanda e o Brasil.