O nosso medo mais profundo não é o de sermos inadequados. O nosso medo mais profundo é o medo de que somos poderosos alem de qualquer medida. É a nossa luz, não a nossa escuridão que mais assusta. Nós nos perguntamos: Quem sou eu para ser brilhante, lindo talentoso, fabuloso? Na verdade, quem é você para não ser? Você é um filho do universo. Seu papel pequeno não serve ao mundo. Não há iluminação em se encolher para que as outras pessoas não se sintam inseguros ao seu redor. Somos todos feitos para brilhar, como as crianças. Nascemos para manifestar a gloria da vida que esta dentro de nós.
Não é apenas em alguns de nós; esta em todos nós. E conforme deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo. Como libertamos o nosso medo a nossa presença automaticamente liberta os outros. (Marianne Williamson)
 A maioria das coisas que fazemos nós aprendemos, assim como aprendemos a andar ou apertar as mãos quando cumprimentamos. Este processo de aprendizagem é particularmente útil para criar hábitos, desenvolvendo habilidades que operam em modo inconsciente,  liberando a nossa mente consciente para se ocupar outras atividades, considere que a  nossa mente consciente é capaz de processar no máximo sete segmentos de informações concomitante (+ 2 – 2 blocos de pensamentos) por isso imagine ter que aprender a amarrar os sapatos todas a manhãs.
Assim como os hábitos os medos também são aprendidos, acredita-se que nascemos apenas  com dois medos naturais, medo de ruídos altos e o medo de cair, estes dois medos são incorporados no DNA humano e tornaram-se um mecanismo de sobrevivência, que é passado para as novas gerações. O único objetivo destes medos inatos é manter os seres humanos vivos e motivados para evitar perigos potenciais.
Para viver uma vida plena é essencial  desenvolver a habilidade de identificar os medos que são úteis e os que são menos úteis (como medo de andar de elevador ou de avião). Uma vez identificados podemos reprogramar a nossa vida. Considere que acordamos todas as manha e vivemos um roteiro de vida que nós mesmos escrevemos baseado  nas nossas experiências, entre tentativas que os resultados foram medidos em fracasso ou sucesso, ali os medos foram incutidos e depositados no fundo da nossa mente inconsciente.
Com um processo de autodescoberta podemos descobrir onde colocamos nossos limites arbitrários e passamos ao processo de autoconsciência descobrindo a nossa própria voz, quem sou eu? a onde eu estou? a onde eu quero ir ? quais são as minhas forcas e quais são as minhas limitações? os meus medos?
Nos não queremos eliminar os medos completamente mas sim ter o medo certo no momento adequado, criar novos hábitos novos caminhos neurais que se tornam forte e substituam os medos menos úteis.
“A maior prisão das pessoas é viver no medo do que as outras pessoas pensam delas”

Renato Moreira  Coach Executivo

About the Author Renato Moreira - Executive Coach

International experience in organisational and leadership development, consultant for business leaders to build and implement a comprehensive global approach to excellence, personal development, moderator for meetings, facilitator, motivational, cultural change management, NLP trainer and Executive Coach; Drive accountability and sustainability of development with a focus on creating a strong development culture.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s